domingo, 27 de março de 2011

Em defesa da língua de Camões

Ontem, dia 26 de Março de 2011 participei (juntamente com outros camaradas) num protesto organizado pelo PNR contra o acordo ortográfico, no Largo Camões em Lisboa por volta das 16:00h. Os organizadores do protesto, fizeram uma recolha de assinaturas contra o "acordo ortográfico". Sempre fui desde a primeira hora contra essa aberração do acordo ortográfico, quando os políticos (apátridas e traidores) se metem em assuntos que não dominam, nunca dá bom resultado.
       É inegável que as línguas evoluem, a manifestação patriótica de ontem não tinha o objectivo de colocar isso em causa. Mas o que está em causa é a forma com a nossa língua evolui, a Língua de Camões faz parte da nossa identidade enquanto povo e deve ser preservada, e não adulterada, como pretende o acordo abortográfico entre Portugal e os outros países lusófonos. Além do mais, a principal diferença entre o português europeu e o dialecto brasileiro é principalmente no sotaque (no sotaque brasileiro, porque não existe sotaque português, porque a língua é nossa), porque o português escrito é muito semelhante nos dois países, mas nenhum acordo poderá alterar a pronúncia de um povo. Mas os nossos políticos nem visão tem para se aperceberem disso.
      O acordo ortográfico além de possuir vários erros e incoerências, gerando assim uma grande confusão nas pessoas, é motivado principalmente por razões económicas e não por fundamentos linguísticos ou gramaticais. Por outro lado, a defesa de uma hipotética "unidade linguística" entre os diversos países lusófonos é uma falácia, é uma falácia porque é normal e benéfico que existam diferenças entre o português nos vários países lusófonos, devido às diferenças culturais entre cada país, daí as diferenças na gramática e as expressões típicas em cada país.
         Não queria fazer o papel de "profeta da desgraça", mas o Brasil já foi colónia de Portugal, agora a situação corre o risco de se inverter. Portugal teve de fazer mais cedências ao Brasil no acordo ortográfico, apesar de a Língua Portuguesa ter a a sua origem na Pátria de Camões. Não me oponho que Portugal continue a ter relações com os países lusófonos, desde que isso não prejudique a nossa identidade enquanto povo e o interesse na, o obviamente não é o caso.
        Além do mais, a história provou que o luso-tropicalismo falhou e o sua versão 2.0, a lusofonia não terá melhor destino. Só os burros cometem o mesmo erro duas vezes. A lusofonia refere-se à comunidade de 250 milhões de pessoas que falam português, mas defender uma identidade em comum entre países tão diferentes a todos os níveis como Portugal e os PALOP's tendo em conta apenas a língua (quando muitas pessoas nos PALOP's nem falam o português como língua nativa) é perigoso. Portugal é antes demais um país europeu, e é na Europa que se encontra o nosso passado, presente e futuro.
       Eu não assinei nenhum acordo e portanto vou continuar a escrever como aprendi, pois o nacionalismo começa antes demais na língua.


9 comentários:

  1. O que importa é o pragmatismo da língua e sua projeção internacional. O português permite um fácil encadeamento linear de idéias, a coesão, pois a sua gramática descende da latina, e, apesar de ter um vocabulário diverso, com palavras e afixos não latinos, é acessível sobretudo no que tange a linguagem funcional. Todavia, a língua evolui. Se as atuais mudanças promoverem o português como língua global, e não causarem prejuízo relevante ao patrimônio histórico, lutar contra elas é, apenas, um reacionarismo contra producente. Portugal deveria relacionar-se com as suas ex-colônias da mesma forma que a Inglaterra se relaciona com o Commonwealth, em especial nas relações Inglaterra-EUA (paralelo do Portugal-Brasil). Isso daria mais espaço a Portugal no cenário internacional.

    ResponderEliminar
  2. Acorda lusitano! Vocês (Portugal) já eram! Que poderio e influência vocês têm? Militar? Econômico? Social?
    Vocês fazem parte do PIG, grupo criado pelos seus próprios colegas europeus. Que grande amizade e união, não?
    Eu sei que você não vai publicar este post, só se for retardado.
    O Brasil vai engolir esse país chamado Portugal que só come coisa gordurosa e tem mulheres com bigode! hahahahahah

    ResponderEliminar
  3. Não, Sr.Anónimo eu publiquei esse post exactamente porque o retardado aqui és tu, e esse seu post revela um enorme complexo de inferioridade e ignorância, portanto quem tem de acordar para a realidade és tu.
    E sim, sou português e europeu e com muito orgulho, sou nacionalista, algo que tu sendo brasileiro não podes ser, porque o Brasil não é uma nação. No Brasil existe uma unidade política e pouco mais, mas nação é outra coisa. O Brownzil é um país sem identidade nacional. E eu como nacionalista dou muita importância à defesa da identidade dos povos europeus.
    E prefiro viver no PIG como tu diz, do que viver na América Latrina e no Merdil. E o Brownzil sempre será um país do 3ºmundo, que não irá engolir nada.

    ResponderEliminar
  4. Sou brasileira(Embora meu sangue seja 100% Japones).E concordo com o protesto... mas se tem que haver este tipo de "unificação" dos dois tipos de portugues, entao o portugues Brasileiro que deveria aderir mais coisas do português de Portugal pois é o mais correto...

    Aqui temos muitos tipos de sotaques, mas a maior parte é devido a influencia dos imigrantes EURPEUS... que vieram aos milhares ou milhões no inicio do século passado...

    Mas tem uma coia realmente desnecessaria... voce definiu os Brasileiros como "alienigenas"...

    Voce faz bem em defender sua cultura, sua raça, seu povo... mas nao precisava mesmo usar este termo...

    Aqui no Brasil tambem sofremos tanto ou ate mais que a Europa com imigrantes...

    Temos imigrandes da Bolivia, Colombia, Peru, Venezuela e Paraguay, e agora os Chineses estao chegando aos milhares tambem...

    Os Brasileiros nao sao alienigenas, os Brasileiros sao frutos principalmente dos Europeus que nos colonizaram(e exploraram)...

    ResponderEliminar
  5. Cara brasileira nipónica, os brasileiros não são descendentes apenas de portugueses e europeus, mas também de índios, asiáticos e principalmente de africanos.
    De qualquer forma usei o termo "alienígena" não de forma pejorativa, mas como sinónimo de "estrangeiro". Não duvido que o Brasil também tenha problemas com a imigração em massa e desregulada, mas como o Brasil não é uma nação, é um país sem identidade nacional, não têm o problema da perda da identidade que os povos europeus enfrentam.
    Já agora, tu consideras-te mais brasileira ou japonesa?

    ResponderEliminar
  6. Meu caro, pelo que constata a história, , até o seculo XVIII, se não me engano, em portugal se falava forma mais aberta pronunciando mais as vogais, sendo que hoje se fala de forma mais fechada dando a impressão de falam com os dentes cerrados. Existe o sotaque portugues sim! portanto,a língua portuguesa também evoluiu em Portugal e não só no Brasil. A língua não é só de vocês, são de todos os países lusófonos!!
    Agora , se o Brasil se destaca mais no senário internacional, e a variante brasileira se sobre sai sobre as demais varianes dos outros lusófonos e vocês se doem por causa disso, só tenho uma coisa a dizer, O AZAR É DE VOCÊS!!!

    ResponderEliminar
  7. Não Sr.anónimo não existe sotaque português, procure informar-se melhor sobre o significado do termo "sotaque" e verá que só existe sotaque brasileiro, angolano, moçambicano, dos estrangeiros que aprendem o português como segunda língua etc. O que existe é pronúncia portuguesa, mas não sotaque. E independentemente do destaque que o Brasil tenha no cenário internacional isso não prova que o dialecto brasileiro seja o mais correcto. E sim, o azar é nosso por sermos governos por criminosos apátridas há mais de 30 anos. E a língua portuguesa pertence por excelência ao povo português.

    ResponderEliminar
  8. Que me desculpem os portugueses, não estou generalizando, mas o sentimento que percebo quando leio postagens como esta é que há um notório complexo de inferioridade de Portugal em relação ao Brasil.A impressão que dá,é que estão tentando defender a única coisa que restou de Portugal que é a suposta "língua", diante de um país em crise e praticamente falido. Mas tentando defender a língua contra quem ,o Brasil?, o acordo ortográfico?. Creio eu que isto tudo é uma bobagem, Portugal nunca perderá sua identidade por causa do Brasil ou qualquer acordo. Nada contra o sentimento nacionalista de alguns portugueses, mas não culpem o Brasil por Portugal não ter projeção econômica e política a nível internacional para promover a língua. O atual cenário em que Portugal se encontra é culpa exclusivamente de vocês mesmos, como algumas outras postagens que vejo por aí , as vezes culpam até a Inglaterra, Alemanha e até mesmo a união européia. A projeção da lingua tendo o Brasil como motor, é uma coisa natural que Portugal tem que aceitar, como aconteceu em relação aos Estados Unidos e a Inglaterra, creio que a inglaterra não se importou tanto em perder espaço para os EUA e que soube se aproveitar bem melhor desta situação!! Ao contrário de Portugal, que defende um suposto puritismo tolo, e até mesmo entrar numa rivalidade com o Brasil que chega a ser ridícula. Mas em fim, foi só uma pequena percepção a diferenças de mentalidades entre Portugal e Inglaterra, e mostrar a diferenças de situações em que se encontram hoje em dia que são bem distintas.

    Para o Bem de Portugal e do povo português, mudem essa mentalidade!! Que não levaram vocês a nada até agora, e nunca levará!!

    ResponderEliminar
  9. Também podem ajudar assinando isto:

    http://www.ipetitions.com/petition/manifestolinguaportuguesa/

    ResponderEliminar