terça-feira, 28 de dezembro de 2010

105º aniversário da captura de Gungunha

No dia 28 de Dezembro de 1895, as tropas portuguesas lideradas Mouzinho de Albuquerque, prederem o poderoso chefe tribal (e o 3ºimperador da etnia vátua) da antiga colónia portuguesa de moçambique. O governo português de então decidiu retirá-lo do poder devido à brutalidade do seu regime tirânico e sanguinário. Quando foi levado para Portugal, foi transferido para Angra do Heroísmo (ilha terceira, Açores), onde aprendeu a ler e a escrever e se converteu ao cristianismo.
O antigo "imperador" dos vátuas, morreria vítima hemorragia cerebral, em 24 de Dezembro de 1906, no hospital militar de Angra do Heroísmo. Muito tempo depois da sua morte, (principalmente após o 25 de Abril) assistiu-se a uma tentativa de falsificar a história e tentar transformar um chefe tribal sanguinário num (falso) herói que lutou contra o "colonialismo português". Mas ao mesmo tempo, e de forma muito conveniente para os criminosos de Abril que tomaram o poder em Portugal, esquecia-se esse grande Herói lusitano e os seus nobres feitos para com a sua nação.
Basta ver, que hoje, esse data história passou praticamente despercebida, a não ser, um pequeno artigo, na edição online da rádio renasceça.

Sem comentários:

Enviar um comentário