sábado, 11 de setembro de 2010

Crescimento da "extrema-direita" em Portugal é alarmante

"Paulo Portas tem a agenda da extrema-direita. A mesma agenda que Pim Fortuyn tinha na Holanda e Nicolas Sarkozy tem em França. Por ser mais sofisticada e "liberal", esta nova extrema-direita é mais perigosa. O que lhe falta em boçalidade sobra-lhe em eficácia. " Daniel Oliveira, jornalista e militante do Bloco de Esquerda.

Bem, como podem ver o Daniel Oliveira, devia ser comediante em vez de ser jornalista. Se assim fosse, ele poderia ser hoje um excelente comediante (ou um bom palhaço) em vez de ser o que hoje é, um péssimo jornalista, mas enfim, cada um sabe da sua vida. De vez em quando, vou ler o blog "arrastão" do Daniel Oliveira para me rir um pouco e é melhor do que ver programas como o "prédio do vasco" e afins.
     O termo "extrema-direita" é um termo extremamente ambíguo que pode ser utilizado nos mais diversos contextos e pode ter os mais diferentes significados. O termo extrema-direita pode significar um ultra-nacionalismo e ultra-conservadorismo e no senso comum o termo é sinónimo de nazi-fascismo. Ideologias totalmente opostas e sem qualquer tipo de relação entre si, como o integralismo, sionismo, fundamentalismo islâmico, nazismo, franquismo, fascismo e salazarismo são ideologias cotonadas com a "extrema-direita". Personalidades como o antigo presidente americano George W.Bush, o marroquino Ahmed Rami, o actual líder da Nação do Islão Louis Farrakha, o antigo líder do PRONA o Dr.Eneas Carneiro e até mesmo o actual presidente da França Nicolas Sarkozi já foram e são classificados como de extrema-direita.
     Normalmente, na Europa, esse termo é usado para se referir (muitas vezes de forma depreciativa) vindos da esquerda (mas também de uma direira liberal) para se referir de forma depreciativa aos partidos e líderes nacionalistas na Europa, como a Frente Nacional do Le Pen, o BNP do Nick Griffin, o PNR do José Pinto Coelho e afins. Pessoalmente nem acho correcto confundir "extrema-direita" com nacionalismo, e alguns dos partidos da área nacionalista na Europa, como é o caso do Ataka na Búlgaria nem se assumem como de direita.
     Mas agora eu pergunto, não era o PNR que era rotulado de "extrema-direita", ou será que o PNR é de uma "extrema-direita" mais radical e o CDS de uma "extrema-direita" mais moderada? De qualquer das maneiras, o Daniel Oliveira foi incapaz de definir o que ele entende como sendo "extrema-direita", da mesma forma que foi incapaz de explicar porque determinados temas não podem ser submetidos a referendo, porque um criminoso apanhado em flagrande não pode ser julgado em 48 horas. E foi também incapaz de explicar porque o CDS e o Paulo Portas são perigosos, mas enfim. Mas o Daniel Oliveira, também parece ser incapaz de muita coisa (como é normal na área política a que pertence), mas uma coisa ele é bom a rotular, caluniar e a deturpar determinados acontecimentos com meias-verdades e falácias, nisso ele é realmente bom. Assim como a tentar demonstrar um nível moral que obviamente não tem.
       O mais engraçado foi o Sr.Daniel acusar o Paulo Portas de tentar explorar o medo e a irracionalidade das pessoas, quando esta é uma característica intriseca da extrema-esquerda desde o 25 de Abril. No mesmo artigo do jornal "expresso" de representar um novo tipo de populismo, como se ser populista fosse algo mau. Não é a esquerda e a extrema-esquerda também populista? Não são líderes socialistas da América Latina como Hugo Chavez e Evo Morales também populistas?!
    De qualquer forma isso de falar no bicho papão da "extrema-direita" e no seu suposto "crescimento alarmante" já chega a ser paranóia da extrema-esquerda alienada. Típico de gente incapaz de distinguir xenofobia com o ser a favor de mecanismo de controle e de selecção das políticas migratórias que é o que o CDS defende, e o militante do BE tem ainda de acusar do CDS de estar obcecado com a segurança nacional e a delincoencia, como se o aumento da criminalidade não fosse um assunto grave, fruto das políticas desastrosas dos nossos "governantes" nas últimas décadas.
    Para finalizar, não deixa de ser engraçado que um militante do BE (um partido de extrema-esquerda que resultou da fusão de vários grupelos de uma extrema-esquerda anti-democrática) venha agora acusar o Paulo Portas e o CDS de não serem democratas. Como se a democracia, fosse posse exclusiva da esquerda e extrema-esquerda, mas enfim...

Sem comentários:

Enviar um comentário