quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Banqueiro alemão é demitido por dizer a verdade

O militante destacado do SPD e actual membro do banco central alemão, Thilo Sarrazin, de 65 anos foi exonerado do seu cargo de membro do Banco Central, apenas por dizer a verdade, a verdade proibida que todos sabem, mas ninguém pode dizer. Ou seja, as consequências extremamente nefastas da invasão e colonização e invasão, (falar em imigração é eufomismo e florear a realidade dos factos) por parte de alianígenas extra-europeus (principalmente turcos) para a sociedade alemã.
     Sarrazin, publicou um livro "A Alemanha corre para a perda", em que mesmo antes da publicação do livro, alguns excertos da sua obra literária haviam sido duramente criticados por pessoas com fortes perturbações mentais, e que se recusam a ver a realidade, talvez porque não lhe convém. Até porque, apesar da invasão e a colonização por parte desses novos bárbaros ser bastante nociva para os indígenas alemães, é bastante lucrativa para o capital apátrida, já que provocam a redução dos salários ao importar mão-de-obra barata e colocam os trabalhadores nativos contra a parede (não querem trabalhar pelo salário mínimo e querem aumento dos salários? então fiquem no desemprego que os imigrantes ocupam os trabalhos pouco remunerados).
     O Partido “Os Verdes”, por intermédio da líder Renate Künast, defende que Sarrazin “danifica a imagem do Bundesbank”, “incita ao ódio” e que “a chanceler e o governo devem tirar as consequências”, numa referência ao afastamento do cargo no Banco Central alemão. A chanceler alemã Angela Merkel, aquela mesmo que comemorou a derrota do próprio país na IIGM, por seu lado, considerou as afirmações difamatórias(?!).
    Já não é a primeira vez que Sarrazin coloca o dedo na ferida, ao tocar nesse polémico assunto que é a política de imigração na Alemanha, numa entrevista no Outono passado o deputado do SPD afirmou que os imigrantes, sobretudo muçulmanos, “estavam a absorver o Estado” alemão, mostrando-se “incapazes de se integrar”. O líder do SDP, já afirmou que Sarrazin deve abandonar o partido. No entanto, caberá ao presidente alemão confirmar a decisão da administração do Bundesbank. Tudo aponta para que Christian Wulff dê seguimento à decisão sem precedentes, e por unanimidade, dos cinco membros do conselho executivo do banco com sede em Frankfurt.

      Este episódio é certamente parecido com aquela 'estória' de Hans Christian Andersen cujo título era "O Rei Vai nu".

1 comentário:

  1. ---> As mais variadas ocorrências... não são uma surpresa... porque, hoje em dia, a Europa é dominada por uma 'Política à Hitler':
    1-> Uma desesperada 'Fuga para a Frente'... para a implosão!...
    {nota: só os Parvos-à-Sérvia é que acreditam que os futuros/novos dominadores demográficos da região... irão preservar a antiga Identidade}
    2-> Teorias (vulgo intolerância) para negar o Direito à Sobrevivência de outros!...


    ANEXO:
    SEPARATISMO-50 NA EUROPA
    ---> Sim, quem quiser ficar à mercê do pessoal (africanos, islâmicos, etc) que anda numa corrida demográfica pelo controlo de novos territórios... QUE FAÇA BOM PROVEITO: tchau!....; todavia, pelo legítimo Direito à diferença:
    TODOS DIFERENTES!!! TODOS IGUAIS!!!
    --- Isto é, TODOS os Povos Autóctones do Planeta Terra:
    -> Inclusive os de 'baixo rendimento demográfico' (reprodutivo)!...
    -> Inclusive os economicamente pouco rentáveis!...
    devem possuir o Direito de ter o SEU espaço no Planeta!!!

    ResponderEliminar