sábado, 26 de dezembro de 2009

Acerca do bóer Barandas




Quase todos da área nacionalista, já devem ter ouvido falar dessa insólita personagem. Essa Sr. Rui Barandas, é mesmo daquelas personagens que só nos aparece uma vez na vida.

Falando um pouco desse Senhor, pelo que se sabe, nasceu na beira, Moçambique em 1947, indo estudar para a África do Sul em 1966, tendo vivido nesse país até ao princípio dos anos 90, quando veio para Portugal, onde se fixou no Porto. Ele, gosta muito de se gabar, e de contar aventuras inacreditáveis que alegadamente passou em África, dizendo ter sido membro do Partido Nacional, bem como da Afrikanner Broderboond, uma maçonaria do povo bóer.

Já em Portugal, trabalhou na Remax, vindo posteriormente a se filiar no Partido Nacional Renovador, sendo acusado de abuso de autoridade no mesmo, ele mesmo por iniciativa própria se afastou do partido, posteriormente quis voltar o que lhe foi recusado pela direcção do PNR. Em Setembro de 2009, regista-se no fórum pátria, onde fala sobre a criação de um novo partido nacionalista, o “PNP”, que segundo ele servia para representar uma alternativa ao PNR, ele prometeu mundos e fundos, dizia que recebia centenas de mensagens de correio electrónico por semana a perguntar pelo seu partido bem como propostas de filiação do mesmo, e chegou a afirmar várias vezes que tinha empresários sul-africanos que doariam milhões de dólares para o partido.

Inicialmente, o seu projecto partidário contava com a participação, do Carlos Branco, ex-militante do PNR, bem como de um tal de João Afonso, bem como o Renato Nunes, emigrado nos EUA, que chegou mesmo a fazer uma doação de 200 dólares para o PNP. Posteriormente, tanto o João Afonso, como o Carlos Brancos se afastam do “PNP”, por perceberem a farsa em que se estavam a meter. O Rui Barandas, criaria vários fakes no fórum do seu “partido”, para simular uma grande actividade do mesmo. Eu mesmo participei no fórum dele, e posso garantir isso. O Rui, também parece ser um individuo bastante religioso, diz ser pastor da Assembleia de Deus, embora, eu tenho enviado um email, a essa denominação, e fiquei a saber que o Barandas também mentiu nesse aspecto.

Posteriormente, aderir ao “PNP”, certamente seduzido pelas promessas do Barandas, um luso Brasileiro, Luan Marçal, este posteriormente ao descobrir que o Barandas não passava de um charlatão, acabaria por se afastar do “partido”, começando a receber ameaças e sendo caluniado pelo Barandas. Como consequência o Luan, acabaria por o processar. Recentemente, talvez para visitar a família (ou escapar ás acusações de sequestro, ameaças e calúnia) acabaria por voltar á África do Sul. Bem, e muito mais teria para falar dessa personagem, como o caso dos emails da “mossad”, que afinal foram enviados pelo Vasco Leitão, mas isso são outras estórias.